RACING GUIMARÃES

Tudo sobre as provas Oficiais de Automobilismo em Guimarães e muito mais!
 
InícioCalendárioGaleriaFAQBuscarGruposMembrosRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 HISTÓRIA DA FÓRMULA 1 – PARTE 09

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Admin
Admin
avatar


MensagemAssunto: HISTÓRIA DA FÓRMULA 1 – PARTE 09   Dom Nov 29 2015, 18:59

HISTÓRIA DA FÓRMULA 1 – PARTE 9


CONSTRUÇÃO - REGULAMENTOS
Com o regulamento de 2009, a FIA livrar carros de F1 de pequenos winglets e outras partes do carro (menos a parte dianteira e a asa traseira) usado para manipular o fluxo de ar do carro, a fim de diminuir o arrasto e aumentar downforce. Como é agora, a asa dianteira é moldado especificamente para empurrar o ar para todos os winglets e bargeboards de modo que o fluxo de ar é suave. Caso estes ser removidos, várias partes do carro vai causar um grande resistência quando a asa dianteira é incapaz de modelar o ar que passa do corpo do carro. Os regulamentos que entraram em vigor em 2009 reduziram a largura da asa traseira por 25 cm, e padronizou a seção central da asa dianteira para impedir que as equipes de desenvolvimento a asa dianteira.


VOLANTE
O motorista tem a capacidade de ajustar os muitos elementos do carro de corrida de dentro da máquina usando o volante. A roda pode ser usada para mudar engrenagens, aplicar rev. limitador, ajuste de combustível mix / ar, alterar a pressão do freio, e chamar o rádio. Dados como a rotação do motor, os tempos das voltas, velocidade, e engrenagem é exibido em uma tela de LCD. O cubo de roda também irá incorporar remos de mudança de velocidade e uma fileira de LED luzes turno. A roda sozinha pode custar cerca de US $ 50.000, e com fibra de carbono construção, pesa 1,3 kg. Na temporada de 2014, certas equipas como a Mercedes optou por usar LCDs maiores em suas rodas que permitem ao motorista para ver informações adicionais, tais como fluxo de combustível e entrega de torque. Eles são também mais personalizada, devido à possibilidade de utilizar tanto o software diferente.


COMBUSTÍVEL
O combustível utilizado em carros de F1 é bastante semelhante ao normal gasolina, embora com um mix muito mais rigidamente controlado. Fórmula One combustível só pode conter compostos que são encontrados na gasolina comercial, em contraste com os combustíveis à base de álcool utilizados em corridas de monolugar americana. Blends são ajustados para o máximo desempenho em condições meteorológicas dadas ou circuitos diferentes. Durante o período em que as equipas foram limitadas a um volume específico de combustível durante uma corrida, exóticas misturas de combustível de alta densidade foram usadas que foram, na verdade, mais pesado do que a água, uma vez que o teor de energia de um combustível depende da sua densidade de massa.
Para certificar-se de que as equipes e fornecedores de combustível não está violando os regulamentos de combustível, a FIA exige Elf, Shell, Mobil, a Petronas e as outras equipes de combustível de enviar uma amostra do combustível eles estão fornecendo para uma corrida. A qualquer momento, os inspetores da FIA pode solicitar uma amostra do equipamento de abastecimento de combustível para comparar a "impressão digital" do que está no carro durante a corrida com o que foi apresentado. As equipes geralmente cumprir esta regra, mas em 1997, Mika Häkkinen foi destituído de seu terceiro lugar em Spa-Francorchamps, na Bélgica após a FIA determinou que seu combustível não era a fórmula correta, assim como em 1976, tanto McLaren e carros da Penske foram forçados a parte de trás do Grande Prêmio da Itália depois de índice de octano foi encontrado da mistura a ser demasiado elevado.
 
CONSTRUÇÃO - PNEUS
A temporada de 2009 viu a reintrodução de pneus slicks que substituem os pneus sulcados utilizados a partir de 1998 para 2008.
Os pneus podem ser não mais do que 355 e 380 mm (14,0 e 15,0) na traseira, largura do pneu dianteiro reduzido de 270 mm a 245 mm para a temporada 2010. Ao contrário do combustível, os pneus suportar apenas uma semelhança superficial com um pneu normal em estrada. Considerando que um pneu roadcar tem uma vida útil de até 80.000 km (50.000 mi), a Fórmula Um pneu nem sequer durar toda a distância da corrida (um pouco mais de 300 km (190 mi)); eles são normalmente mudado duas ou três vezes por corrida, dependendo da faixa. Este é o resultado de um impulso para maximizar a capacidade de aderência à estrada, que conduz à utilização de compostos muito suaves (para assegurar que a superfície do pneu em conformidade com a superfície da estrada, tanto quanto possível).
Desde o início da temporada de 2007, F1 teve um fornecedor único de pneus. De 2007 a 2010, este foi Bridgestone, mas 2011 viu a reintrodução da Pirelli no desporto, após a saída da Bridgestone. Existem seis compostos de F1 pneu; 4 são compostos secos de tempo (duro, médio, macio e super macio), enquanto 2 são compostos molhados (intermediários para superfícies húmidas sem água parada e molha completos para superfícies com água parada). Dois dos compostos de tempo seco (geralmente um composto mais duro e mais suave) são apresentadas a cada corrida, além de ambos os compostos de chuva. O pneu mais duro é mais durável, mas dá menos aderência, e o pneu mais macio o oposto. Em 2009, os pneus slicks retornaram como uma parte de revisões das regras para a temporada de 2009; slicks não têm sulcos e dar até 18% mais contato com a pista. Nos anos Bridgestone, uma faixa verde na parede lateral do composto mais macio foi pintado para permitir que os espectadores para distinguir qual pneu um motorista está ligado. Com pneus Pirelli, a cor do texto e do anel na parede lateral varia com os compostos. Geralmente, os dois compostos secos trazidos para a faixa estão separados por pelo menos uma especificação. Isso foi implementado pela FIA para criar diferença mais percetível entre os compostos e espero adicionar mais emoção para a corrida, quando dois pilotos estão em diferentes estratégias. As exceções são o GP de Mónaco, Grande Prémio de Singapura e o Hungaroring, onde os pneus macios e super-macios são trazidos, porque eles são notavelmente lento e sinuoso e exigem muita aderência.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
 
HISTÓRIA DA FÓRMULA 1 – PARTE 09
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» A História da Motocicleta em livro
» História do Terral
» REGULADORES DE VOLTAGEM E PARTE ELÉTRICA
» MORAL DA HISTÓRIA
» Limpeza da parte inferior do carro

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
RACING GUIMARÃES :: COMPETIÇÕES INTERNACIONAIS :: FORMULA 1 :: HISTORIA-
Ir para: